João Magalhães, apresentou hoje durante a ModaLisboa a sua primeira coleção em nome próprio.

O designer que explora novas dualidades e universos estéticos marcados pela androginia, e também pela exigência com os materiais e o corte, apresentou uma coleção onde a diversidade é a palavra de ordem, e onde primaram também as técnicas artesanais, incluindo malhas e bordados à mão.

Neste desfile de estreia, João Magalhães usou como uma primeira referência visual “Um imaginário termodinâmico” – uma mostra de estruturas aéreas do argentino Tomás Sarraceno, patente no MAAT no verão de 2018. As esculturas metálicas e a luz das instalações, influenciaram o jovem designer, que as reinterpretou nas formas, nos materiais, texturas e bordados tridimensionais.

Toda a narrativa presente na coleção evolui à volta da geometria e do universo industrial. Também os padrões e plissados partiram das imagens captadas nas viagens do designer pelo Japão, imagens estas, que foram depois impressas em seda, e refletem de forma própria, e à luz da sua perspetiva, os contornos e as cores das cidades por onde passou.

Um dos elementos de destaque presentes na coleção, é o power suit, que nesta mostra de dualidades, foi reinventado e a sua austeridade deixou-se assim, desalinhar pelo skate e pela contracultura – opostos explorados por João Magalhães, ao longo de toda a coleção.

Clique nas imagens e percorra a galeria do desfile

                                                                                                                                                                                                                 Artigo publicado a 09.03.2019