Tempo de leitura: 9 min

Uma despensa desarrumada pode ser sinónimo de compras menos conscientes, porque nunca sabemos ao certo a quantidade de produto que temos armazenada, ou sequer se o temos. Acabamos por comprar quantidade a mais, por não comprar o que realmente precisamos ou, no pior dos casos, deixamos a comida passar do prazo de validade.

Por isso, o Betrend desafiou a Maria Prata Rodrigues do @ecor.interiordesign a partilhar as suas sugestões para conseguir organizar uma despensa com menos desperdício.

No meu caso, a minha despensa não estava desarrumada, estava o caos. Até pilhas descarregadas e cabos estragados tinha lá guardados – não Maria, a despensa não serve para guardar lixo, mas sim comida!
Estava na altura de pôr mãos à obra. O resultado foi uma despensa mais arrumada, organizada e bonita. O melhor de tudo foi tê-lo feito reutilizando e reciclando o que já́ tinha em casa.

Depois de concluída, desconstruí este processo em 10 passos para que possa também transformar a sua despensa com menos desperdício.

1. Esvaziar

O primeiro passo a tomar passa por remover tudo o que se encontra dentro da despensa, deixando-a vazia.

2. Ficar apenas com o necessário

Não há razões para se preocupar com a desarrumação da cozinha! Aproveite o caos para avaliar cada produto individualmente tendo em conta dois fatores: validade e utilização. O que estiver fora da validade e/ou inapto para consumo deve ir para o lixo.
O que não tenha sido utilizado nos últimos tempos e que não prevê o seu consumo experimente doar a quem possa ou queira consumir evitando assim o seu desperdício.

3. Limpar

Depois da “limpeza” aos produtos desnecessários, segue-se a limpeza a fundo à despensa. Para esta tarefa, optei por um detergente neutro (pode também optar por álcool ou vinagre) por ser mais amigo do ambiente e não comprometer a qualidade dos produtos que irão de volta para a despensa.

4. Usar frascos transparentes

O uso de frascos transparentes é uma excelente forma de armazenar alimentos e só traz vantagens: consegue-se saber o que está dentro do frasco (alimento e quantidade disponível) e não compromete a visibilidade do seu conteúdo.
Os frascos não precisam de ser todos de vidro, nem todos iguais. A ideia é reutilizar os frascos de alimentos que já tenha utilizado (como por exemplo, os frascos de polpa de tomate). Foi exatamente o que fiz na minha despensa! Não precisei de comprar nada novo e ainda dei uma nova vida a embalagens que poderiam ter ido para o lixo.

5. Categorizar

A divisão dos produtos por categorias vai depender dos produtos que tem na sua despensa.
No caso da minha despensa, dividi nas seguintes categorias: animais, bebidas, cereais, conservas, doces, farinhas, frutos secos, legumes, snacks e temperos.
Aproveite o formato da sua despensa para distribuir as categorias. Como a minha tem um formato em “L” pouco usual, destinei as categorias com menos produtos à zona mais estreita e as com mais produtos à zona mais funda. Na zona mais funda, optei ainda por colocar cestos (com frascos dentro) que uso como gaveta para ter um acesso mais fácil e rápido a produtos que não estão tão visíveis.
Os cestos que precisava já tinha em casa. No entanto, um deles não se encontrava no melhor estado. Faltava-lhe uma tábua e a tinta estava lascada em vários sítios. Nada que um pouco de tinta e uma base de madeira não resolvesse. Se não for o seu caso e quiser adotar o mesmo sistema de reaproveitamento, pode sempre dar uma nova vida a uma caixa de sapatos ou solicitar caixas de madeiras ou de cartão aos supermercados – normalmente há em excesso e não se importam de disponibilizar!

6. Ordenar

Ordenar os produtos repetidos pela sua data de validade permite reduzir a quantidade de comida que é deitada fora. Por isso, coloquei os produtos com o prazo de validade mais próximo de terminar na parte da frente da prateleira.
Nas prateleiras mais altas coloquei os produtos menos utilizados e à altura dos olhos os que utilizo com mais frequência, como é o caso dos temperos.
Na zona mais baixa da despensa, coloquei os produtos mais pesados como a ração e a areia de gato.

7. Etiquetar

O processo de etiquetar frascos é um favorito da maioria das pessoas (e meu também!) no que toca à decoração da despensa. Mas se pensa ir trocando o conteúdo dos frascos conforme as suas necessidades, pode sempre optar por etiquetar as categorias em vez dos frascos tal como eu fiz – um processo mais rápido e fácil!”

Para fazer estas etiquetas usei contraplacado, cortei do tamanho desejado, pintei com tinta de ardósia para poder escrever diretamente o nome da categoria e colei com fita adesiva de dupla face nas prateleiras.
No cesto que pintei com tinta de ardósia escrevi diretamente o nome da categoria e no outro, de verga, prendi a etiqueta com sisal e cola quente.
Se optar por etiquetar cada frasco, sugiro que coloque o nome do produto e a data de validade respetiva.

8. Lista de compras (opcional)

Já lhe aconteceu chegar a casa das compras e perceber que se tinha esquecido de um ou mais produtos que precisava mesmo de comprar? Já perdi a conta das vezes que isso me aconteceu! Isto pode deixar de acontecer se fizer uma lista de compras. Para acabar com esse esquecimento e também para não correr o risco de comprar produtos que não preciso, criei um quadro de giz para colocar dentro da despensa e poder listar tudo o que preciso de comprar.
Para o fazer, só precisei de um cartão grosso e de pintá-lo com tinta de ardósia. A moldura fiz com restos de contraplacado que sobraram das etiquetas. Para colar à porta, e tal como as etiquetas, usei fita adesiva de dupla face.

9. Adequar às nossas necessidades

Se não há duas pessoas iguais também não faz sentido existir duas despensas iguais.
Para umas pessoas faz sentido etiquetar todos os frascos, para outras faz sentido etiquetar apenas as categorias ou utilizar cestos para arrumação.

Visto que tenho gatos e que um deles é um comilão, que já tentou furar o saco da ração várias vezes, resolvi fazer um saco de pano com duplo forro com restos de tecido. Ficou bonito e, melhor de tudo, é a prova de ataques.
Absorva apenas o que se adequa às suas necessidades!

10. Consumir de forma mais consciente

Uma despensa arrumada pode ser sinónimo de compras mais conscientes! O uso de frascos transparentes, a ordenação dos produtos pela sua validade e a lista de compras permite uma noção mais clara do que temos ainda por consumir e do que realmente precisamos.
Ainda há mais uma coisa que podemos fazer: reduzir o lixo que produzimos. Sabia que grande parte do nosso lixo se resume a embalagens? Uma das formas de reduzir o consumo de embalagens é optar por comprar a granel onde podemos levar os nossos sacos ou frascos e fazer o refill. Evitar processados, que costumam vir sempre embalados, ou fazer em casa também são outras opções que podemos adotar.
Nem sempre vai conseguir fazê-lo, seja por falta de tempo ou oportunidade, mas o caminho da sustentabilidade é exatamente isso, um caminho.

Artigo publicado a 28.02.2020