O rebuliço da vida moderna controla todos os aspetos da nossa existência. Por vezes, é necessário parar, pensar e recarregar baterias. A par e passo com o burburinho que se faz sentir nas cidades contemporâneas, a moda também acompanha a azáfama. A constante mudança de tendências, a quantidade de peças feitas em série e vendidas ao preço da chuva e a oferta interminável de produtos levaram à criação de um pequeno paraíso.

É em pleno coração do Chiado que se ergue uma loja que contraria a corrente. A Hay Carmo prima pelo seu conceito: o exercício exímio de curadoria das suas peças, o apoio à slow fashion e o espaço descontraído prometem ser um oásis ideal para acrescentar ao roteiro de compras.

Como não podia deixar de ser, fomos conhecer a Hay Carmo e a sua mentora, Juliana Cavalcanti.

Como nasceu o espaço Hay Carmo?

É uma história engraçada: eu conheci os donos do espaço há 5 anos, no Brasil. Eles não têm nada a ver com moda – um é engenheiro e outro é contabilista, mas sempre quiseram criar uma concept store que promovesse mais do que a compra, que promovesse a experiência.

Quando adquiriram este espaço, pensaram que era um ótimo local para uma nova loja e chamaram-me, dado que eu já tenho muita experiência em moda! Eu fiquei muito entusiasmada com o projeto e foi assim que começámos a montar a Hay Carmo!

Como descreve o conceito da loja?

A Hay Carmo é uma experiência. Quando as pessoas entram no nosso espaço podem comprar, beber, comer, relaxar ou ouvir música – somos multifacetados nesse sentido. Quanto à loja, o conceito baseia-se na curadoria de marcas. O nosso objetivo é vender marcas exclusivas que não se encontrem facilmente nos estabelecimentos comerciais, marcas independentes e marcas adeptas do slow fashion – este é um conceito em que nós apostamos muito porque acreditamos que é o futuro, pois a moda precisa de uma pausa, acalmar e tornar-se sustentável.

Também é importante mostrar variedade ao nosso consumidor, por isso, trocamos de marcas de 2 em 2 meses. Eu quero que as pessoas saibam que, quando passam cá, há sempre coisas novas para ver, marcas para conhecer – mas sem parecer um bazar! Não queremos encher demasiado o espaço, queremos manter um ambiente agradável.

ver galeria

Existem alguns critérios na escolha das marcas presentes na loja?

Podem pensar que são opções pessoais, mas não. Há marcas com que eu não me identifico a nível de estilo, mas que percebo a sua qualidade e importância. Quando escolho uma marca ou um produto, tenho sempre dois fatores em conta: a qualidade e o storytelling. O conceito e o branding da marca são muito importantes para nós. Por exemplo, temos a Repto, que é uma marca claramente de streetwear com influências da música rap, ou a Cinco, uma marca de joalharia minimalista. O importante é que todas elas saibam trabalhar bem a sua comunicação e os seus conteúdos.

Porquê o nome Hay Carmo?

É uma história muito pouco romântica, para dizer a verdade. Foi muito simples: a pessoa responsável pelo branding da loja fez uma lista de possíveis nomes e nós escolhemos o que encaixava melhor. Hay Carmo é um nome super fun e leve: o “hay” é quase em estilo millennial porque significa “how are you?” e o Carmo é uma forma de nos posicionarmos em termos espaciais.

Como é que tem sido a aceitação do público?

A aceitação do público tem sido muito positiva! Tem sido uma viagem incrível desde que abrimos a loja. As pessoas adoram o conceito e ficam encantadas quando conhecem o espaço. Adoram!

Um desafio para o futuro?

O nosso grande desafio é tornar a loja um ponto de referência no roteiro de compras da cidade. Isto irá ser possível com muito trabalho e dedicação. É necessário apostarmos numa comunicação consistente, sem nunca esquecermos os bons produtos e as boas marcas!

 

Hay Carmo

Travessa do Carmo, 1C

1200-095 Lisboa

Tel: +351 21 3460514