Pedimos-lhe que escolhesse 3 objectos que “não-vive-sem”. Quer dizer-nos o porquê de cada um?

O meu telefone com quem tenho uma relação amor-ódio porque acho-o a melhor invenção deste século, mas ao mesmo tempo, um vício terrível que me rouba muito à vida real.

Os headphones para ouvir música durante as minhas caminhadas por Lisboa que me fazem tão bem.

E o livro que estou a ler no momento porque tenho alguns momentos mortos e não me quero agarrar ao telefone.

Enfim, no fundo uns são dependentes dos outros.

E, já agora, em termos de roupa, quais as suas peças preferidas? É adepta de tendências?

Não ligo muito a tendências no meu dia-a-dia. Ando de ténis all star, calças de ganga Levis e não largo a minha mala nova Longchamp. Nao ligo a marcas mas percebo o encanto de algumas e sem querer sou fiel a muitas mas não gosto de gastar muito dinheiro em roupa. Sou poupada e trato bem dela para durar muito.

Em Mar Salgado mudou completamente o seu visual para dar vida a Tina, não tendo sido a primeira vez que mudou em prol de uma personagem. Como encara as mudanças de visual (especialmente as drásticas, como foi o caso)?

Como uma grande ajuda na construção da personagem.  No caso da tina foi mais arriscada que o normal, mas até hoje não a imagino de outra maneira.

 

Fotografia: Dário Branco