Foi numa tarde quente de Abril que nos deslocámos aos Montes Claros. A paisagem de cortar a respiração combinada com o espaço minimal foi o local perfeito para uma longa conversa.

Ana Rita Clara não é uma cara estranha. O seu sorriso aberto e aura contagiante já fazem parte do dia a dia dos portugueses. Para além da sua habilidade natural para a televisão, que todos nós já conhecemos, Ana é uma apaixonada pela moda. E foi sobre isso que falámos.

Qual é o papel da moda na tua vida?

Gosto muito de moda. Acredito que a moda é uma extensão do que nós somos. Acompanho as tendência não só porque gosto, mas também porque o meu trabalho solicita isso. Com o meu programa diário, o Faz Sentido na Sic Mulher, e todos os meus outros projectos, como o Change It e o meu blog, procuro sempre que a minha imagem seja a mais adequada.

Na tua vida, o que é que veio primeiro: a moda ou a televisão?

Sempre fui muito maria rapaz, mas foi aos 14 anos que fui convidada para um desfile de moda. Este desfile foi o ponto de partida para começar a evidenciar a minha feminilidade, pois tive uma formação base para saber andar de saltos altos, para preparar a pele e para saber cuidar da minha imagem da melhor maneira. De certo modo, foi isto que me preparou para entrar no mundo da moda de uma maneira simples, directa e em tenra idade. Foi a partir daqui que comecei a fazer muitos trabalhos de fotografia como manequim, que me deram ferramentas para começar a preocupar-me com a beleza e a estética, mas também aprendi a lidar com as câmaras e conheci muitas pessoas novas!

Mas foi só aos 19 anos que tive contacto com a televisão. Na altura, estava a tirar Sociologia na Universidade do Minho, e a minha mãe inscreveu-me no casting para o Curto Circuito e lá fui eu, mesmo sem conhecer o programa. Foi aqui que comecei a encontrar-me e que nasceu o meu namoro com a televisão. Por isso, se me perguntares o que foi antes ou depois, eu diria que foi uma combinação natural de convites e situações que proporcionaram a carreira que tenho hoje.

Como vês a moda nacional?

Acredito muito na nossa moda nacional, sou fã de muitos dos nossos criadores, prefiro não individualizar porque sou muito amiga de alguns deles (risos!). São muito talentosos, cada um à sua maneira, e têm uma grande criatividade incrível. Já fui embaixadora da Moda Lisboa e do Portugal Fashion durante várias edições e tive a oportunidade de ver de perto a evolução do que é a moda em Portugal, a forma como os portugueses valorizam esta área, como está cada vez mais próxima das massas e já não assusta tanto!

Como é que apreendes a ideia de “tendência”?

O conceito de “tendência” é complicado. Não gosto da ideia da clonagem, nem de todos seguirmos as mesmas tendências. No entanto, acredito que estas lançam ideias base e luzes daquilo que é o momento – até porque a moda diz muito dos momentos sociais que estamos a viver – como é o caso da Balmain, uma marca de elite que sentiu a necessidade de se adaptar aos tempos modernos e transformou-se numa marca de massas, sem perder o seu lado de luxo. Ou como a Chiara Ferragni conseguiu milhares de followers e uma influência brutal a nível de moda apenas com um blog.

O meu trabalho requer que eu acompanhe as tendências e o meu blog, Ana 272, também. Esta é a plataforma onde gosto de partilhar o meu lifestyle, as minhas interpretações da moda e inspirar ao máximo os nossos leitores. Isto tudo para dizer que, eu conheço as tendências do momento mas crio o meu próprio estilo e tento sempre que a minha personalidade sobressaia porque acredito que temos de nos sentir bem quando nos vemos ao espelho.

Uma tendência para a Primavera que vais usar?

Gosto muito da tendência das mangas exageradas, das cestas, do crochet e dos brincos XL. Também vou usar muito os tons nude e pastel, combinados com uma atitude quase minimal. E o cor de rosa, claro!

Uma peça que tens de ter sempre no guarda-roupa?

Blazers de todas as cores! É aquela peça que talvez tenha até em excesso. Um blazer com um bom corte faz toda a diferença.

Quando não sabes o que vestir, o que é que vestes?

Um look total branco, uma das minhas combinações preferidas!

Look descontraído para o fim de semana?

Umas calças de ganga, com um corte não muito skinny, e uma t-shirt ou uma camisa branca. Tenho o hábito de usar as t-shirts e as camisas do meu marido, adoro esta junção de estilo feminino com um toque masculino.

Fotografia – Dário Branco

Make-Up & Hair – Raquel Peres

Styling – Ana Rita Clara

Agradecimento – Montes Claros