Eagle Eye foi o nome escolhido por Luís Carvalho e não poderia assentar melhor: a nova coleção do criador nacionalfoi inspirada na sublime ave de rapina, a águia.

passerelle foi invadida por uma palete de cores que representa as paisagens habitadas pela ave. O rosa pálido,ocre ou o azul marinho foram os tons de eleição. Já as silhuetas foram criadas através de composição em camadas, o que confere um movimento único aos coordenados.

Foi entre a dualidade da fluidez e das linhas retas que conversámos com Luís Carvalho. 

A águia foi a inspiração dessa colecção. Alguma razão para teres escolhido esta ave em particular?

Só escolhi esta a ave porque foi uma imagem que encontrei e que decidi usá-la como elemento bordado, principalmente na colecção de homem. A partir daí comecei a criar um conceito. Usei a águia como estrutura para dar forma e silhueta às peças. Nas mulheres, a questão das penas notou-se nos plissados e nas pregas, para dar esse efeito. E depois a paleta de cores foi o ponto de vista da águia: as planícies, os tons mais terra, mais bege, os rosa pálidos, o amarelo ocre.

Qual foi a peça mais divertida de criar?

Um vestido plissado cor de rosa, que foi feito através de um draping, e que tem uma gola grande!

E tendo em conta o tema, foi fácil chegar à paleta de cores, às texturas e aos materiais usados?

Foi super fácil porque já tinha muito bem definido o que queria fazer. Para as texturas, queria trabalhar os tecidos com pregas, por causa da questão das penas. Não queria usar penas por ser uma coisa muito óbvia e preferi então trabalhar através das pregas. A nível de cores foi o tal ponto de vista da águia, das paisagens, do pôr do sol – foi aí que fui buscar as cores.

Existe algum coordenado pela qual tens um carinho especial?

Tenho um carinho especial por todos os coordenados. São todos feitos com tanto amor!

Quais são as tendências preferidas para a próxima estação?

Acho que o cor-de-rosa vai ser a mais evidente de todas. Não tanto pelo que fiz, mas pelo que me tenho apercebido. Penso que vai ser a cor da estação!

Imagens © Teresa Costa Gomes